domingo, 26 de outubro de 2014

Batalha de Salamina (módulo 1)

Batalha de Salamina foi o combate entre a frota persa, liderada por Xerxes  e a grega, comandada por Temístocles.

Com o objetivo de incluir a Grécia no seu império, o jovem rei Xerxes, filho e sucessor de Dario I, preparou um poderoso exército constituído por soldados persas, assírios, árabes, egípcios, lídios e indianos, composto por unidades de infantaria e uma armada formada por 1207 navios de grande calado.

A batalha travou-se no estreito que separa Salamina da Ática, possivelmente no dia 29 de setembro de 480 a.C. e terminou com a vitória grega.

O avanço do temível exército Persa fez com que os Gregos pusessem de parte as suas diferenças formando uma aliança de diversas cidades-estado, preparando um plano de resistência à invasão.

Um dos episódios mais célebres desta invasão é o da batalha das Termópilas onde 300 espartanos chefiados por Leónidas lutaram até à morte tentando impedir a passagem dos persas.

Apesar do esforço e da coragem dos espartanos, os persas venceram a batalha nas Termópilas avançando sobre Atenas. Os habitantes, assustados, fugiram para a ilha de Salamina, situada em frente ao porto de Atenas, o Pireu.

Atenas foi invadida, os resistentes que ficaram na sua defesa foram chacinados e a cidade foi saqueada e incendiada.

Entretanto, Temístocles, comandante da frota ateniense, organizou um plano de resistência: com astúcia atraiu a frota persa para o golfo de Salamina, fazendo correr o boato de que os gregos se iriam render e entregar ao invasor.

Conhecedor da zona, Temístocles sabia das dificuldades que os enormes navios persas iriam ter para manobrar entre correntes e baixios.

Temístocles colocou estrategicamente a sua pequena frota de trirremes que, com perícia e inteligência, derrotaram a armada persa que não teve outra alternativa senão retirar e abandonar a batalha.

Depois do ataque com os esporões, os gregos passaram à luta corpo a corpo e ao uso dos seus arcos e artes marciais — em que eram exímios —, enquanto os seus hoplitas (infantaria pesada) provocaram estragos entre os soldados e as tripulações persas.

A vitória em Salamina acelerou o fim das guerras persas, confirmou a independência das cidades gregas e colocou Atenas, a salvadora da Grécia, em posição de liderança vindo a assumir o controle da Liga de Delos, fundada em 478 a. C.

Que curso teria seguido a História se os Persas tivessem triunfado em Salamina colocando um ponto final na experiência democrática levada a cabo por Atenas?




Sem comentários: